ELEIÇÕES - Marília mantém liderança, e briga por segunda posição se acirra - REMOCIF

REMOCIF

POLITICA E ENTRETENIMENTO


Ultimas Noticias

Publicidade

Post Top Ad

terça-feira, 10 de novembro de 2020

ELEIÇÕES - Marília mantém liderança, e briga por segunda posição se acirra

 


Faltando uma semana para as eleições municipais deste ano, a mais recente pesquisa realizada pelo DataTempo/CP2 indica movimentações no cenário eleitoral de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A candidata do PT, Marília Campos, mantém-se em primeiro lugar, com certa folga, mas a vantagem diminuiu em relação aos adversários. O estudo aponta ainda para um empate técnico na segunda colocação entre Dr. Wellington (Republicanos) e Felipe Saliba (DEM), além de uma hipótese de segundo turno, o que até então não estava sendo cogitada na cidade.

De acordo com o levantamento, que ouviu 700 entrevistados, entre os dias 3 e 4 de novembro, com margem de erro de 3,7 pontos percentuais para mais ou para menos, Marília Campos possui agora 40,9% das intenções de votos no cenário estimulado, ou seja, aquele em que todos os concorrentes são apresentados ao eleitor. 
A segunda colocação é disputada palmo a palmo entre Dr. Wellington, com 7,4% das preferências, e Felipe Saliba, com 7,1%.

Eles são seguidos de perto, dentro da margem de erro para empate técnico, pelo Professor Irineu (PSL), com 6,9%, e Ivayr Soalheiro, com 3,7%. Os outros candidatos possuem menos de 2% das intenções (veja o infográfico abaixo). Aqueles que não souberam ou não quiseram responder somam 10,1%, e os que disseram que vão votar em branco, nulo ou em nenhum candidato são 15,1%.

Já na pesquisa espontânea, aquela em que os nomes dos candidatos não são citados para os entrevistados, Marília Campos tem 23,7% das intenções de voto. Os que não sabem ou não responderam somam 39,4%, seguidos dos que vão votar em branco, nulo ou não vão votar em nenhum candidato, que são 18,4%. Felipe Saliba, em citações livres, ocupa o segundo lugar, com 5,6% de preferência, seguido de Dr. Wellington, com 3,3%. Outros nomes que não estão no pleito somam 3,1%. Na sequência aparecem Professor Irineu (com 2,3%) e Ivayr Soalheiro (com 1,6%). Outros candidatos têm menos do que 1% das intenções ou não pontuaram nesta simulação.

Válidos

Quando são retirados do cálculo aqueles que vão votar nulo, branco, em nenhum candidato, os que não sabem e os que não responderam, ou seja, quando se calcula os chamados votos válidos, que é como a Justiça Eleitoral apresenta os resultados, Marília Campos atinge cerca de 54% das intenções de voto. Isso poderia indicar, segundo o sociólogo Antônio de Pádua, que assina a pesquisa, uma possibilidade de vitória da petista ainda no primeiro turno, mas não de maneira tão clara como se apresentava há duas semanas. Pádua lembra que a ex-prefeita caiu cerca de 5 pontos percentuais em 15 dias. Felipe Saiba cresceu 5 pontos percentuais, e Dr. Wellington cresceu 3,5 e depois caiu 1,6 pontos percentuais.

Oscilações
Em relação às pesquisas anteriores, todas feitas e registradas pelo instituto DataTempo/CP2, as variações foram pequenas, mostrando uma disputa mais intensa para a segunda colocação. A candidata do PT, depois de ter perdido cinco pontos percentuais (de 45,5% para 40,5%), estabilizou, com oscilação positiva de 0,4 pontos percentuais e tem agora 40,9%. Já Felipe Saliba tinha 1,9%, foi a 6,4% e agora tem 7,1%. Dr. Wellington, por sua vez, 5,5%, foi a 9% e agora tem 7,4%. Professor Irineu tinha 5,2%, foi a 4,8% e agora tem 6,9%. Já Ivayr Soalheiro tinha 3,2%, foi a 4,1% e agora tem 3,7%.

Os dados ainda apontam que a disputa está aberta na cidade. Um total de 42,9% da população dizem que o voto apontado aos entrevistadores é definitivo. Outros 13,3% dizem que o voto é firme, mas que podem mudar de opinião até o domingo. Já 18% consideram a opção apenas uma preferência inicial, e 25,1% ainda não decidiram.

“Isso quer dizer que pelo menos 43,1% dos entrevistados não estão totalmente convencidos de seus votos. A última semana promete ser quente. A candidata Marília Campos precisa segurar o pé, pois, se os candidatos de baixo pontuarem, o segundo turno pode existir, sim. 

Dados A pesquisa DataTempo/CP2, contratada pela Sempre Editora, foi realizada nos dias 3 e 4 de novembro, com 700 pessoas. A margem de erro do levantamento é de 3,7 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança do estudo é de 95%. O registro no TRE-MG é o MG-02336/2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Pages